quinta-feira, 9 de junho de 2011

A Obstetra e gravidez anembrionaria

Postado por Flávia às 07:00
Ai, ai ,ai, ai, ai tá chegando a horaaaaa! Chegamos na 37ª semana!
Engraçado que nas consultas semanais a obstetra sempre bate palmas para Aninha e parabeniza por ela estar calminha avançando semana após semana para nascer no tempo certo. Durante a gestação precisei me afastar em alguns momentos do trabalho por sentir contrações apresentando risco de parto prematuro. Por tudo isso, minha obstetra que é uma profissional maravilhosa, faz questão de comemorar conosco o avanço da minha gestação.
Respondendo a pergunta da minha amiga Kiu sobre a obstetra: O nome da obstetra maravilhosa é Tiana Freire. Ela atende em Aracaju na clinica Santa Helena. Para justificar a indicação vou contar sobre a minha primeira gravidez. Senta que lá vem a história.
Resultado do beta em mãos, pai e mãe de primeira viagem ligando para todos(T-O-D-OS) da nossa agenda para contar que estávamos grávidos, antes mesmo de fazer a primeira transvaginal. Sentíamos uma alegria louca por ganhar um presente maravilhoso. Não passava por nossa cabeça que poderia existir qualquer problema com a fecundação. Fizemos mil planos, contamos os meses para o parto e comemoramos muito com as nossas famílias.
Como ainda não tinha uma ginecologista em Aracaju, resolvemos fazer o primeiro exame com uma médica em Salvador que não me darei nem o trabalho de dizer o nome. Não vale a pena.
Na primeira consulta já sentimos que tinha algo estranho com a médica. Ela simplesmente  não nos ouvia. A consulta tinha o tempo marcado e o nosso sentimento era que ela procurava fazer tudo rápido para chamar a próxima paciente. Chegou a hora da transvaginal e a médica não conseguiu ver o embrião, somente o saco gestacional. Apesar disso não perdeu muito tempo explicando e se limitava a responder somente o que questionávamos. De forma resumida, nos disse que realmente eu estava grávida, mas que por ser recente ainda não era possível ver o embrião. Pediu que retornássemos em 15 dias e praticamente nos expulsou do consultório para chamar a próxima consulta.
Ao sair do consultório nem esperei chegar em casa e pelo celular mesmo pesquisei sobre o assunto. Foi assim que descobri o que era uma gravidez anembrionaria. Li relatos de diversas mulheres e fiquei torcendo para aquilo não acontecer conosco. Gravidez anembrionária  é uma gravidez sem embrião. Você faz o teste e como uma gravidez normal o resultado é positivo. Somente na transvaginal é diagnosticado que o saco gestacional se formou, mas não será gerado um bebê, pois falta o embrião. Existem diversas opiniões sobre o que pode causar a não formação do embrião. O uso de anticoncepcionais por muito tempo ou simplesmente uma falha da natureza. Não há consenso sobre o assunto.
 Esperamos ansiosos os tais 15 dias e retornamos para uma nova transvaginal. Foi nessa consulta que a médica atingiu o seu grau máximo de insensibilidade e falta de profissionalismo. Na transvaginal ela não conseguiu ver o embrião e pediu que retornássemos em 15 dias. Novamente sem qualquer explicação.
Meu esposo questionou se isso seria normal para a idade gestacional do bebê. A criatura na maior cara tranqüila disse que pelo tempo já deveria ter aparecido, mas que nós não nos preocupássemos, pois se fosse uma gravidez anembrionária era só fazer uma “curetagenzinha” e pronto. Dessa forma ela explicou que a minha gravidez poderia ser anembionaria. Simples assim!
Agora imagina a cena. Eu e meu esposo boquiabertos olhando para cara da médica. A minha vontade era sacudir a infeliz e gritar “ Minha filha meu problema não se resolve com uma curetagenzinha. Eu quero meu bebê! Você acha que ela se deu ao trabalho de explicar o procedimento da curetagem? Novamente encerrou a consulta apressadamente e nos conduziu até a porta.
Já em Aracaju uma colega de trabalho indicou a Dra. Tiana. Cheguei ao consultório traumatizada com a experiência da médica/monstra. Fui surpreendida com uma profissional delicada, competente e extremamente sensível. Dra. Tiana me explicou tudo sobre gravidez anembrionária e tirou todas as minhas dúvidas. Pediu que eu esperasse mais um tempo, porém alertou que nesse período eu poderia ter um sangramento. Esse sangramento significava que a gravidez realmente era anembrionária e que o meu corpo estava expelindo naturalmente o saco gestacional.
E assim aconteceu. Em alguns dias eu tive um sangramento e foi triste. Mas não foi assustador porque a médica tinha nos preparado para essa possibilidade.
Apesar do sangramento, uma nova transvaginal mostrou que o saco gestacional não foi expelido completamente. Foi nessa situação que realmente comprovamos que a nossa médica não era uma obstetra e sim a obstetra. Diferente da médica anterior, Dra. Tiana não nos ofereceu uma “curetagenzinha” para ganhar dinheiro com a intervenção e sim opções para que a escolha fosse nossa. Ela nos explicou sobre a curetagem e também sobre uma segunda opção que seria tentar tomar um medicamento para que útero sofresse contrações e eliminasse o saco gestacional naturalmente.
Adotando a segunda opção poderíamos tentar uma nova gravidez logo depois de comprovar que o saco gestacional tinha sido completamente expelido. Já optando pela curetagem precisaríamos esperar alguns meses. É claro que preferimos fazer a tentativa com o medicamento que graças a Deus deu certo!
Lembro que ao comprovar que meu útero estava limpo, Dra. Tiana olhou nos meus olhos  e disse: “ Não se preocupe. Você vai voltar e eu terei o prazer de fazer o seu pré natal.” Ela consolou minha tristeza com palavras carinhosas de esperança.
E com essas palavras proféticas, retornei dois meses depois com outro resultado nas mãos. Minha querida obstetra ,engraçada como sempre, ao olhar o resultado disse: “ Já Flavinha? Já vi que teremos que conversar sobre contraceptivos logo que o bebê nascer!
Na primeira transvaginal ficamos procurando o saco gestacional na tela preta e para o nosso alivio lá estava o embrião, a nossa Aninha. Se não fosse o esclarecimento correto da médica, oferecendo uma opção diferente da curetagem, nossa alegria não aconteceria tão cedo.
Dra. Tiana atende os meus telefonemas. Dra. Tiana sabe o nome da minha filha apesar de atender inúmeras pacientes. Dra. Tiana sabe que meu esposo só pode acompanhar as ultras e valoriza a presença dele. Dra. Tiana não se tornou uma estatua vestida de branco sentada sobre a arrogância de anos de medicina. Dra. Tiana é gente como a gente. Dra. Tiana é a obstetra!

15 comentários:

Juci Bris on 9 de junho de 2011 09:18 disse...

que lindo ler isso sobre dra. Tiana e sobre o amor entre vocês. Sobre a outra pessoa nem vou fazer comentários...

sua Aninha está chegando e parabéns pra vocês dois.

um abraço

Rosane on 9 de junho de 2011 09:21 disse...

Ai que linda homenagem!
Dra. Tiana se ler esse post vai chorar, eu chorei...Eu choro a toa (fato!) ainda mais grávida rsrsrsrs
Que bom né que ainda existem profissionais assim. Parabéns pra você e pra sua obstetra. A minha também é ótima!
E melhor ainda, tua história teve final feliz. Daqui a pouquinho mesmo Aninha estará aí nos seus braços te fazendo rir e chorar ao mesmo tempo, de alegria e emoção...
Beijos

Kelli on 9 de junho de 2011 13:09 disse...

ai chorei lendo esse post que médica do mal a que vc tinha mas parabens pela gestação e espero que dê tudo certo

Shilola on 9 de junho de 2011 18:42 disse...

Oi Flávia... Que bom conhecer teu blog nesse momento mágico. :D
E que maravilha encontrar uma obstetra assim bacana. eu passei por algo assim, com uma médica que fez o meu ultra da 14a semana (translucencia nucal). E por fim encontrei uma dra. gente como a gente tb. :D
Desejo tudo de bem na chegada da Ana, e acompanharei sempre que puder. ;)
Bjocas,
Carol

Kyu on 10 de junho de 2011 07:40 disse...

Amiga, amei! rss
Primeiro amei o fato de vocês não esmurecerem e hoje poder ter Aninha aí na porta, quase respirando os ares da nossa cidade adotiva rss (AJU).
Depois amei saber que aqui também encontramos bons profissionais, pois confesso que salvo raras exceções isso é artigo raro aqui!
Lá em Salvador tenho o meu obstetra do coração, Dr. João Paulo Queiroz. Me acompanha desde quando tinha 17 anos e foi quem descobriu meu ovário policístico e me acompanhou pelos longos anos em que tentamos engravidar até a chegada da nossa Mariana.
Mas é complicado ficar se consultando lá, morando aqui kkk Por essa minha dificuldade preciso de alguém humana me acompanhando aqui também. Fui em uma outra médica lá mesmo na Santa helena, mas não gostei. Na segunda vou fazer alguns exames lá (que ela solicitou) e já vou marcar a consulta com Dra. Tiana. rss
Muito obrigada e que o Senhor abençoe a chegada da Aninha!! bjss

Vivyanne disse...

Flávia, me emocionei muito com o seu post e te dou toda razão Drª Tiana é a obstetra. Passei pela mesma situação que vc. A mesma situação mesmo só que desde o inicio estava com Drª Tiana e pode ter certeza que atende mesmo todas as ligações. A minha situação ainda foi um pouco diferente da sua pq ainda tive um susto na minha segunda gestação pq quando recebi o resultado e fui fazer a ultra na primeira novamente não deu para ver o embrião e na hora ela me deu muitas esperanças que nessa ia dar tudo certo e graças a Deus deu. Estou com 22 semanas e meu filho amado Paulo está a caminho. Ela que comentou comigo do seu blog. Parabéns

Ana Maravilhosa on 8 de setembro de 2011 19:43 disse...

Nooooooooossa, chorei contigo!!! Também passei pelas mesmas emoções de contar pra TOOOOODOOOOOOOS e infelizmente passar por um trauma desses... ainda estou na luta para engrav idar, mas o que me consola é que já tenho um menino, uma bênção na minha vida, ele tem 5 anos e é fantástico!!!!!! Mas ainda não desisti...
Obrigada por compartilhar a tua história!!!
Estou adoraaando o blog!!!!!
Parabéns pela linda menina!!!!!
Beijinhos,
Ana Maravilhosa

Girleandila Portugal on 14 de fevereiro de 2013 05:14 disse...

Lindo o seu comentário, parabéns e muita saúde. Salvador-Bahia.

Aryanne de Moraes on 7 de abril de 2013 13:35 disse...

Oi Flávia, tudo bem? Estou muito feliz por ter chegado até seu blog, que é muito fofo e acolhedor. Estava aqui no google pesquisando sobre obstetras em Aracaju e cheguei até aqui. Moro em Aracaju há quase 7 anos mas não sou daqui nem tenho muitos amigos aqui e acaba que fico meio perdida pra tudo. Infelizmente ano passado passei por uma das piores experiências da minha vida, com 31 semanas de gestação minha bebê morreu dentro da minha barriga, imagina a dor, com tudo pronto pra sua chegada. Também estava com uma obstetra péssima lá da clinica Santa Helena e depois do que houve mudei de obstetra e comecei a investigar a causa da minha perda. Descobri que tenho trombofilia e que preciso de todo um acompanhamento e tratamento durante todas as futuras gestações e mesmo assim correndo o risco de ter outra perda, infelizmente com essa doença nada é muito seguro. Estou com um ótimo obstetra entretanto sinto que ele não entende muito de trombofilia e fica um pouco perdido e isso me deixa super insegura. Preciso de alguém que entenda perfeitamente meu caso e que me deixe o mais tranquila possível. Não sei se sua obstetra pode me ajudar mas mesmo assim vou tentar. Preciso mesmo de um obstetra especialista em trombofilia pois quero muito ter meus filhos e no meu caso isso será um verdadeiro milagre!
Entretanto é sempre bom conhecer alguém aqui de Aracaju pra trocarmos figurinhas. Também tenho um blog mas está abandonando faz tempo, preguiça de postar... rsrsrs... Mas vou ficar te seguindo aqui no blog! Beijocas...

Anônimo disse...

Flávia, que alívio encontrar seu post. Neste momento me encontro aguardando o tempo p ver se se confirma uma anembrionária. Que angústia terrível! Nao vou pensar duas vezes e procurarei pela dra. Tiana e se ela atende pelo meu plano (queira Deus q sim). Uma abraço e um bejao em Aninha, que a essa altura já deve ser uma mocinha linda. Fiquem com Deus.
Larissa

Anônimo disse...

oi Flávia, nao te conheço mas devo agradecê-la por compartilhar sua historia. Sou de Brasília e estou em Aracaju há pouco tempo. Estava a procura de um gineco/obstetra e agora encontrei aqui uma boa sugestão. Vou marcar uma consulta com a Drª Tiana.
Parabéns pela filhota!
Beijo.
Hilda.

Anônimo disse...

Que bom que acjei este blog...linda historia...meninas quem puder me ajudar ficarei muito grata...estou a procura de um giveco/ obstetra mas nao achei ainda...ja fui em dois super arrogantes...nao quero...quero uma pessoa delicada afinal eh mum momento que ficamos delicadas tb...por favor quem souber me indiuque algum...bjs

Anônimo disse...

29/06/2013 Oi Flavinha procurando saber sobre essa tão sofrida gravidez que estou vivendo nesse momento, encontrei sua linda historia, que mim deu forças para eu continuar lutando, hoje fazem 15 dias que perdi também, e graças também não foi preciso fazer essa curetagem, estou muito feliz com sua historia e espero que eu também possa receber essa grande Graça, que é ser MÃE. Bjos Verônica

Gabriela Melo on 6 de março de 2014 12:22 disse...

Olá gente boa !!!
Preciso de um especialista em trombofilia em Salvador !!!
Podem me ajudar, tenho o diagnóstico, preciso ser acompanhada, já tive duas perdas.
Obrigada

Gabriela Melo on 6 de março de 2014 12:23 disse...

Olá gente boa !!!
Preciso de um especialista em trombofilia em Salvador !!!
Podem me ajudar, tenho o diagnóstico, preciso ser acompanhada, já tive duas perdas.
Obrigada

Postar um comentário

 

Agora que virei gente grande! Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Emocutez